Formação
Artigos
            Informação             Artigos             Diaconato Permanente: uma vocação
02/06/2020 Diáconos Permanentes Diaconato Permanente: uma vocação José Marcelo Leite
A+ a-

“O Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate de muitos” (Mt 20,28)

É uma alegria, no Ano Vocacional vivido por nossa Diocese, poder refletir sobre o diaconato permanente. A Igreja de Cristo é toda ministerial, na diversidade de vocações e ministérios resplandece sua beleza. Todos os membros do Corpo Místico de Cristo são chamados por Deus a se colocarem a serviço, abraçando uma vocação específica. Dentre as diversas vocações encontra-se o diaconato permanente.

“Diaconia” é uma palavra grega utilizada cerca de cem vezes no Novo Testamento. É uma expressão que aparece como substantivo diakonos (aquele que serve), diakonia (serviço) e como verbo diakoneo (servir). Diaconia compreende o estilo de vida que Jesus escolheu e recomendou para os seus discípulos: “Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns dos outros. Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, assim façais também vós” (Jo 13,12c-14). Portanto, a diaconia, o serviço se faz presente em todas as vocações e ministérios, mas no diaconato, quer transitório quer permanente, ela precisa estar mais evidente.

Falando da espiritualidade diaconal, o Documento da Santa Sé “Normas Fundamentais para a Formação dos Diáconos Permanentes” assim se expressa: “A espiritualidade do serviço é uma espiritualidade de toda a Igreja enquanto toda a Igreja, à imagem de Maria, é a « serva do Senhor » (Lc 1, 38), ao serviço da salvação do mundo” (n.11). Nesse mês de maio, mês de Maria, aprendemos com a Mãe a servir com amor, zelo e disponibilidade.

Quando recebi o convite para a Escola Diaconal Santo Estêvão, confesso que fui tomado por um misto de alegria, medo e sentimento de indignidade. Mas ao mesmo tempo, também como a possibilidade de realizar um antigo sonho vocacional. Nesses primeiros meses de caminhada, penso muito na vocação de Abraão que se lançou, de Moisés que a princípio titubeou, de Samuel que aos poucos foi discernindo a voz de Deus, de Isaías maravilhado com a grandeza e santidade do Senhor face à sua pequenez e pecado, de Maria que teve a coragem de se entregar totalmente ao projeto salvífico de Deus.

Mesmo em meio às minhas fraquezas e limites, o desejo de servir mais a Igreja, os irmãos e irmãs, o anseio de que Jesus Cristo seja conhecido, amado e seguido, o ardor missionário, enfim, a paixão pelo Reino de Deus é que tem me impulsionado a abraçar essa vocação.

Fico sempre na expectativa das aulas, e destaco a convivência fraterna e o companheirismo com os colegas. Somos um grupo de 21 candidatos, a meu ver unidos e entusiasmados em prosseguir e chegar lá. Estamos juntos num processo de crescimento, e contando sempre com o apoio de nossas famílias, particularmente das esposas, e de nossas comunidades, particularmente dos Párocos.

Jesus nos ensina que saber agradecer é uma virtude (cf. Lc 17,11-19). Agradeço de coração a Dom Cláudio, cujas palavras sábias e afetuosas dirigidas a nós em diversos momentos da Escola Diaconal, trazem luz e segurança em meio à caminhada. Agradeço na pessoa do Padre Nilson, a todos os professores e a toda a equipe organizadora que não obstante suas atividades pastorais doam seu tempo colocando-se a serviço para o nosso aprendizado. Agradeço ao Padre Antônio – reitor do Seminário Maior Dom José André Coimbra, onde acontece a Escola Diaconal – e aos seminaristas pela acolhida sempre dispensada a nós. E um agradecimento especial ao Diácono Policarpo, que nos enriquece com sua experiência e sabedoria.

Aprendi, desde a minha infância, que cada vocação pode ser comparada a uma frágil plantinha que para crescer e frutificar precisa ser regada todos os dias com a água viva da oração. Rezemos e trabalhemos por todas as vocações. Rezem por nós, candidatos ao diaconato permanente, para que ao longo desse tempo de formação, o Senhor nos ilumine e confirme em nossos corações o seu chamado. Santo Estêvão, Diácono e Protomártir, rogai por nós!


José Marcelo Leite
Paróquia São João Paulo II de Patrocínio-MG

Atualizado em: 02/06/2020 às 09:48
Nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Últimos Artigos
 Veja mais notícias
                  
Receba as notícias e artigos da Diocese de Patos de Minas. Cadastre seu e-mail...